O termo segurança alimentar pode parecer algo distante das realidades das nossas casas, mas não é bem assim. A segurança alimentar e a nutrição estão diretamente relacionadas. Afinal, os alimentos contaminados criam um ciclo de doenças que afetam principalmente crianças pequenas e idosos. Os alimentos podem possuir microorganismos nocivos à saúde, principalmente os de origem natural. E para impedir a contaminação de alimentos é preciso termos alguns cuidados nas rotinas diárias dentro da cozinha.

Em casa essas regras de higiene são mais básicas do que em um restaurante, por exemplo, mas mesmo assim devem estar presentes na hora de manipular e preparar os alimentos. São medidas simples, como lavar as frutas e verduras adequadamente antes de consumir. Manter bons padrões higiênicos ajudam a proteger você e sua família de intoxicações alimentares. Se liga nessas dicas eficazes para deixar tudo limpo e higienizado!

Entendendo melhor a contaminação de alimentos

Quem nunca se sentiu mal por causa de algo que comeu? A contaminação de alimentos acontece quando qualquer alimento entra em contato (direto ou indireto) com substâncias ou elementos que representam um risco para a saúde se ingeridos.

Os principais agentes biológicos capazes de contaminar a água e os alimentos, são vírus, bactérias, protozoários, vermes, fungos e toxinas microbianas. Eles podem causar inúmeras doenças, por isso é fundamental ter cuidado na hora de manipular e preparar a comida.

Como você sabe se as superfícies da cozinha e do banheiro foram desinfetadas?

Tipos de contaminação de alimentos

Existem basicamente três tipos de contaminação de alimentos: física, química e biológica.

1. Contaminação física A contaminação física acontece quando alimentos são contaminados por algum objeto durante o processo de produção. Também pode ocorrer a partir de reações físicas, que acarretam a produção de alguns produtos químicos tóxicos. Essas reações físicas podem ser causadas por tratamentos em altas temperaturas, por exemplo.

2. Contaminação química A contaminação química ocorre através de algum tipo de substância ou reagente químico. Inclui os alimentos impregnados com químicos naturais ou artificiais (corantes e aditivos não autorizados, inseticidas, metais pesados, etc.) ou com toxinas produzidas por microrganismos. Esses contaminantes são particularmente perigosos, pois promovem a exposição a substâncias tóxicas que podem ser fatais. Os agrotóxicos são componentes químicos pouco biodegradáveis e que podem causar diversos problemas de saúde. Há também químicos que ocorrem naturalmente em alimentos, como as toxinas nos peixes.

3. Contaminação biológica A contaminação biológica se dá pelo contato dos alimentos com microrganismos patogênicos ou substâncias que eles produzem. As fontes de contaminação mais comuns são animais, humanos e insetos. Nessa categoria estão incluídas a contaminação bacteriana, viral, ou parasitária, que pode ocorrer através de sangue, saliva ou fezes. Além disso alguns tipos de bactérias crescem sob refrigeração, o que pode aumentar o risco de contaminação em determinados alimentos, como carnes e produtos lácteos.

Mulher cortando salmão sobre a tábua de madeira

Na rua não temos controle sobre as condições de preparo dos alimentos, mas em casa podemos nos prevenir e evitar que a nossa cozinha se torne um ambiente de proliferação de bactérias e microorganismos.

O que é contaminação cruzada?

A contaminação cruzada de alimentos nada mais é do que a transferência física de bactérias prejudiciais à saúde de um alimento contaminado para outro, direta ou indiretamente. Durante a manipulação dos alimentos, essa contaminação pode ocorrer através da superfície de preparo, de equipamentos e utensílios contaminados, ou por meio de mãos não higienizadas adequadamente.

Para garantir a higiene e segurança alimentar da sua cozinha, é importante:

  • Evitar utilizar os mesmos utensílios, como facas e tábuas, para cortar alimentos crus e depois alimentos cozidos (principalmente carnes).

  • Lavar bem e higienizar as superfícies e os utensílios antes e depois de manipular os alimentos.

  • Sempre lavar os alimentos crus (carnes e vegetais), mesmo se eles vão ser cozidos depois.

  • Não manipular verduras e legumes em tábuas que tenham sido usadas para cortar carne crua anteriormente.

O que é preciso fazer para evitar a contaminação dos alimentos?

Manter a cozinha limpa é o principal fator para evitar a contaminação de alimentos. Os cuidados mínimos podem ser resumidos a: lavar as mãos, manter as superfícies higienizadas e certificar-se de que os equipamentos e utensílios estejam sempre limpos.

Como evitar bactérias na cozinha?

Para evitar a proliferação de bactérias na cozinha você deve seguir os princípios básicos:

Lave as mãos: Lave as mãos com sabão e água corrente antes e depois de entrar em contato com os alimentos. E não se esqueça de remover qualquer tipo de acessório, como anéis e pulseiras, antes de tocar nos alimentos.

Mulher lavando as mãos

Higienize seus alimentos: Antes de começar a sua receita, lave bem seus ingredientes. Para legumes, frutas e verduras é essencial uma boa limpeza antes de cozinhar. Sempre retire as folhas estragadas e lave tudo com muito cuidado em água corrente. O ideal é deixar de molho por 15 minutos em uma mistura de água com vinagre ou hipoclorito de sódio após a lavagem.

Mulher lavando verduras e legumes em água corrente

Mantenha as superfícies limpas: para manter sua cozinha sempre higienizada opte por produtos específicos para limpeza e desinfecção de superfícies, como o Cif Cozinha. Certifique-se sempre de usar toalhas de papel ou panos limpos nas superfícies de preparo. Lave os panos regularmente e diferencie um para cada tipo de tarefa. A limpeza do piso também é essencial para evitar bactérias na cozinha e a contaminação de alimentos.

Bancada da cozinha com pano e limpador multiuso

Lave bem os pratos e talheres: Se você lavar a louça à mão, use água quente e um bom detergente. Tente lavar os pratos logo após usá-los para evitar a contaminação cruzada, o acúmulo de sujeira e a disseminação de bactérias nocivas em sua cozinha.

Não misture seus utensílios: Tenha uma colher para cada panela durante o processo da sua receita. Misturar esse utensílio pode causar contaminação cruzada pois uma bactéria de um alimento pode facilmente passar para outro.

Cuidado com utensílios de cozinha em madeira: As colheres de pau e as tábuas em madeira são itens que estão presentes em muitas cozinhas brasileiras. Mas a madeira acumula bactérias com mais facilidade, por ser um material poroso. E os microorganismos dificilmente são retirados na lavagem. Por isso, é muito importante fazer uma higienização cuidadosa dos utensílios de madeira. Primeiro lave com água quente e um bom detergente. Depois enxágue e coloque o utensílio em uma solução de água com vinagre, deixando de molho por 10 minutos. Depois, é só secar com um pano limpo.

Homem lavando tábua de corte de madeira com água e esponja

Limpe as tábuas de cortar: O ideal é que você use tábuas diferentes para cortar vegetais e para manusear carnes cruas. Sempre lave a sua tábua com água bem quente antes de passar para o próximo item, pois o calor mata alguns vírus e bactérias.

Também se recomenda substituir as tábuas antigas quando elas começarem a ficar mais difíceis de limpar. E as tábuas de plástico não porosas são a escolha mais segura para evitar o risco de contaminação de alimentos!

Lixeira e panos na pia: Na cozinha, a distância entre a lixeira e os alimentos acaba sendo muito pequena, o que facilita a transmissão de bactérias. Então o ideal é escolher uma lixeira grande, de metal e que tenha abertura com pedal para que as suas mão não toquem no lixo.

Pano úmido na pia também se torna outro ambiente perfeito para a proliferação de bactérias e outros microorganismos. Por isso, dê preferência à toalhas descartáveis, papel-toalha e rodo pequeno para higienizar e secar a pia.

Como ter higiene na cozinha?

A higiene na cozinha não deve se resumir ao manuseio e preparo dos alimentos. Para ter uma cozinha higienizada de verdade é importante que todas as superfícies, eletrodomésticos e utensílios estejam bem limpos.

Manter a geladeira organizada de modo correto significa cuidar da saúde da sua família, pois ajuda a eliminar riscos de contaminação e evitar desperdícios. O ideal é que você guarde na geladeira resto de alimentos apenas em potes de plásticos ou vidro.

Sobras de ingredientes enlatados, em conserva ou até em panelas podem contaminar sua comida pela transferência dos metais. Por isso, guarde em potes vedados que não causem danos a sua saúde. E não se esqueça de sempre lavar latas e embalagens vindas do mercado antes de colocá-los na despensa ou geladeira!

A limpeza do fogão após cada uso também é recomendada. Além da limpeza diária e mais rápida da cozinha e dos eletrodomésticos, uma limpeza profunda e que inclua também o mobiliário deve ser feita periodicamente para complementar a higienização.

E na hora de cozinhar, lembre-se que a melhor forma de evitar a contaminação de alimentos é seguir algumas regras básicas durante a manipulação, o preparo e o armazenamento desses alimentos:

  • Lave muito bem as mãos antes de manipular qualquer tipo de alimento;

  • Lave as mãos e os utensílios entre a manipulação de alimentos diferentes, para evitar a contaminação cruzada;

  • Lave bem as frutas, legumes e verduras em água corrente ou deixe-as de molho em água com hipoclorito de sódio;

  • Não congele novamente alimentos que já foram descongelados;

  • Descongele os alimentos sempre dentro da geladeira;

  • Todos os alimentos, dentro ou fora da geladeira, deverão estar em recipientes fechados com tampa ou cobertos com plástico transparente;

  • Evite comer ovos com a gema crua. A alta temperatura durante o cozimento garante a eliminação dos microrganismos patogênicos, especialmente a Salmonella;

  • Evite carnes mal passadas. As carnes, assim como qualquer outro alimento de origem animal, representam um ambiente ideal para a proliferação de bactérias. Isso acontece porque possuem proteínas, água e outros nutrientes em sua composição;

  • Cuidado com o armazenamento de laticínios. A composição química dos derivados do leite, assim como o das carnes, é bastante propício para a sobrevivência de microrganismos nocivos. Não é à toa que estes tipos de alimentos são mais perecíveis e estragam mais facilmente.

  • Mantenha a temperatura da geladeira abaixo de quatro graus. Já o freezer deve ficar entre doze e quinze graus negativos;

  • Evite comer alimentos crus, como ostras e crustáceos;

  • Evite comer em barraquinhas de praia, de rua, ou em locais que você desconhece as condições de higiene.

Milhares de pessoas adoecem e algumas até morrem por causa de infecções alimentares todos os anos. Crianças com menos de 5 anos de idade representam uma faixa etária bastante afetada por doenças relacionadas a contaminação de alimentos. Com esses cuidados você e sua família vão se sentir e estar muito mais seguros.