Unilever

Alergia a roupas: 8 causas de alergia na pele

Alergia a tecido é um problema comum, especialmente em peles sensíveis. Descubra o que pode causar essa alergia na pele e saiba como solucionar o problema!

Atualizado

8 causas de alergia a roupas

O que causa alergia a tecido? Inúmeros fatores podem ser o motivo de irritações, vermelhidões e alergias, mas você sabia que as roupas que veste e o sabão que você escolhe para lavá-las também podem ter culpa no cartório?

Sim, por isso decidimos listar oito formas de como a sua roupa e alguns acessórios podem ser causas de alergia na pele. Para ajudar, também trazemos dicas a fim de solucionar cada problema. Vamos conferir?

Os primeiros sinais de alergia a roupa são coceira e desconforto, especialmente nas áreas de maior transpiração como axilas, virilhas, cintura e pescoço. Em casos de sintomas mais graves, consulte um médico especialista.

As 8 principais causas de alergia na pele

Os primeiros sinais de alergia a tecido são desconforto e coceira, especialmente nas áreas de maior transpiração como axilas, virilhas, cintura e pescoço. Contudo, em casos de sintomas mais graves, consulte um médico especialista, combinado?

De todo modo, o seu guarda-roupa se desdobra em tecidos com caraterísticas bem diferentes, do algodão ao poliéster, das pelas mais coloridas às claras, com ou sem apliques e acessórios etc. Logo, a sua pele pode reagir de diferentes maneiras a essas combinações. Veja algumas causas!

1. Estrear a peça de roupa sem lavar primeiro

Ter alergia à roupa nova é bem comum e uma das principais razões é a presença de formaldeído. Esse é um nome esquisito que identifica um produto químico que serve para evitar que os tecidos enruguem ou encolham. 

Portanto, o ideal é consultar as etiquetas das roupas para verificar se elas contêm esse componente ao saírem da fábrica. Por via das dúvidas, a solução é lavar a roupa nova antes de usá-la pela primeira vez. Esse cuidado também vale para as roupas íntimas novas — lave sempre sutiã e calcinhas antes de usar pela primeira vez!

2. Ter alergia ao sabão em pó ou líquido

A sua alergia a tecido também pode estar associada ao sabão que você usa na lavagem das roupas, seja ele em pó ou líquido. Especialmente se a sua pele é seca ou hiper-reativa, ou se você tem alergia ao cheiro do produto, não arrisque usar um sabão qualquer e dê preferência a um material hipoalergênico e sem perfume, como o novo OMO Proteção Micelar

Outro detalhe que ninguém dá a devida atenção é a quantidade correta de sabão ou amaciante na lavagem das roupas. Afinal, se você utilizar os produtos em excesso — desejando uma limpeza melhor —, pode ser que o tecido fique impregnado com a fragrância ou até mesmo com resíduos químicos, provocando ou piorando seu quadro de alergia por dermatite de contato.

Então, para não colocar sabão de menos, nem demais, você deve seguir as instruções da embalagem. Lá você encontra a medida recomendada de produto para determinados níveis de água e quantidade de roupas. No caso do amaciante, geralmente, a sua tampa já é o dosador ideal para uma lavagem — tomando como base uma máquina de 10kg. 

3. Adquirir peças jeans com apliques de níquel

Botões, zíperes, fivelas de cinto e até mesmo moedas no bolso dos seus jeans podem originar vermelhidão e manchas na sua pele. Sabia disso? Tudo isso contém níquel, um material que costuma causar alergia na pele. Então, preste mais atenção nessas partes das suas peças de roupas e proteja-se do contato com esse material.

Além disso, talvez a suposta alergia a tecido esteja vindo, na verdade, dos seus acessórios e não das roupas. Algumas bijuterias e até semijoias trazem em sua composição o níquel. Portanto, vale a pena suspender essas peças por um tempo para ver se o problema na pele desaparece. Caso isso aconteça, saiba que existem acessórios “níquel free”, que utilizam outro metal antialérgico em suas ligas. 

4. Vestir roupa desadequada nas crianças

Com bebês ou crianças pequenas é difícil saber exatamente se estão com frio ou calor. Por isso, às vezes acabamos vestindo os filhos com tecidos mais quentes do que o necessário, o que pode causar alergia na pele sensível dos pequenos. 

Nesse sentido, opte por vesti-los com mais camadas de roupas no inverno e roupas frescas no verão, sempre preferindo tecidos de algodão, que são respiráveis. Sempre escolha também produtos de lavagem de boa qualidade e apropriados para lavar roupas de bebê, por exemplo. 

5. Usar roupas de lã em contato com a pele

Aquela linda blusa de lã pode ser a fonte da sua alergia. Primeiro porque, para peles sensíveis, o contato direto com a lã pode causar coceira e vermelhidão. Em segundo lugar, a lã é especialista em acumular poeira e ácaros — tudo o que pode causar alergia na pele. 

O ideal é vestir essas peças com algo mais leve por baixo, como uma blusa de algodão. E, apesar das roupas de lã serem muito delicadas, é importante lavá-las antes do uso, caso elas estajam muito tempo guardadas.

6. Vestir roupa guardada sem lavar

O mesmo vale para a sua roupa guardada desde o inverno passado ou para peças de segunda mão. Assim, para se livrar de ácaros, mofo e bolor nas roupas, coloque-as para lavar e deixe-as secar ao ar livre antes de usar.

Outro fator que influencia é o modo como você guarda suas roupas. O ideal é que você mantenha as peças da estação mais à mão, fáceis de pegar. Aquelas que não serão usadas na temporada podem ficar devidamente guardadas em armários respiráveis ou até mesmo em sacos à vácuo — que, além de reduzirem bastante o volume dos pertences, também deixam as roupas livres de fungos, umidade e odores, por retirarem o oxigênio do seu interior. O único material que não deve ser guardado desta maneira é o de origem animal!

7. Usar muita roupa sintética e colorida

Os tecidos de cores fortes, bem como algumas peças de couro sintético, podem conter químicos e corantes, o que costuma causar alergia na pele. Dessa forma, prefira tecidos claros e de algodão orgânico, em vez de sintéticos, ainda mais na roupa dos bebês e crianças pequenas.

8. Descuidar-se das roupas de cama

A sua roupa de cama também pode causar alergias se você usar um sabão inadequado e não a secar as peças corretamente. Se você ou o seu filho acordarem com os olhos avermelhados e coçando, é importante lavar a roupa de cama, cobertores e edredons com um sabão sem perfume e hipoalergêncido, por exemplo, deixando-os secar bem antes de guardá-los ou usá-los.

Como usar sabão para lavar roupas com segurança

Agora que você já sabe de onde pode vir sua alergia a tecido, que tal fazer um checklist para a lavagem das suas peças? Vamos lá:

  • leia as instruções do rótulo do produto e também as etiquetas das roupas;

  • siga à risca a dosagem do detergente indicado na embalagem do produto;

  • sempre lave a roupa de bebê separadamente das roupas dos adultos;

  • escolha um lava roupas líquido ou em pó hipoalergênico e sem perfume, como o OMO Proteção Micelar, que além de cuidar das suas roupas e da sua pele, também limpa sem danificar suas roupas e cria uma camada protetora contra novas sujeiras;

  • quando lavar à mão as roupas enxáguem bem as roupas para tirar o máximo dos resíduos dos produtos e deixe-as secar bem antes de guardar.

A alergia a tecido pode ter o seu quadro piorado caso haja também outras complicações, como alergia de pele e rinite por causa de pó ou outros aspectos. Sabendo isso, é adequado caprichar na faxina como um todo, dando ainda mais atenção aos locais que juntam muita poeira. Se você está sofrendo de alguma alergia e apresentar sinais de complicação, aplique todas as dicas deste post, mas também procure um dermatologista!

Agora que você já sabe o que fazer em relação ao assunto, continue pelo blog e descubra agora como se livrar de poeira e odores com táticas úteis!

Publicado originalmente