Unilever

Como prevenir a intoxicação por produtos de limpeza em casa?

Para manter o seu lar seguro, é necessário tomar medidas preventivas para evitar a intoxicação por produtos de limpeza. Leia mais na Cleanipedia.

Atualizado

Frascos de produtos de limpeza

Em meio à luta contra o coronavírus, um dos itens mais usados na limpeza dos lares é a boa e velha água sanitária. Mas produtos saneantes, assim como medicamentos, oferecem riscos se utilizados de maneira indevida. A absorção de certos agentes químicos, seja por inalação, pela pele ou por ingestão, pode ter consequências graves. Saber como se desintoxicar de água sanitária, por exemplo, é o tipo de informação que vale a pena conhecer.

Fato é que, nossa casa, apesar de ser o local onde nos sentimos mais seguros, guarda algumas substâncias potencialmente perigosas. Neste artigo, veja como deixá-la limpa sem correr riscos, bem como o que fazer em caso de acidentes.

Como reduzir o risco de intoxicação por produtos de limpeza?

Em residências, principalmente naquelas com crianças e animais de estimação, os cuidados com produtos de limpeza precisam ser redobrados. De maneira geral, quando não estiverem sendo utilizados, é importante mantê-los fora de alcance.

Já quando estiverem em uso, deve-se deixar os ambientes bem ventilados, abrindo portas e janelas de modo a aumentar a circulação do ar. Confira o que mais pode ser feito para deixar seu lar limpo e reduzir o risco de acidentes!

Mantenha produtos sempre longe do alcance das crianças e dos animais. Ao utilizar produtos de limpeza, garanta que a casa esteja bem ventilada abrindo as portas e janelas e sempre use equipamentos de segurança como luvas e óculos de proteção.

Mantenha tudo no devido lugar

Guarde os produtos de limpeza em locais apropriados. Apesar de simples, essa é uma das estratégias de prevenção a acidentes domésticos mais eficientes.

Além da água sanitária, outros saneantes podem ser prejudiciais à saúde. Detergentes, desinfetantes e desodorizantes, por exemplo, integram essa lista.

Por isso, coloque-os, com as embalagens muito bem fechadas, em prateleiras altas ou dentro de armários trancados. Independentemente do cômodo, estejam na área de serviço, na cozinha ou no banheiro, deixe-os fora do alcance de crianças e pets.

Faça o armazenamento correto

Nunca guarde produtos químicos junto de alimentos ou medicamentos, para evitar que se confundam. Esse tipo de erro é comum, principalmente em apartamentos pequenos, por conta da falta de espaço.

Além disso, o armazenamento deve ser feito longe do sol ou do calor excessivo — já que, nessas condições, algumas substâncias podem se tornar inflamáveis. Por isso, colocar os produtos de limpeza em armários com fechaduras é a melhor opção.

Ler as instruções no rótulo dos produtos não apenas garante uma limpeza eficiente, mas também ajuda a evitar possíveis acidentes. Sempre que comprar um produto novo, dedique alguns minutos para ler as recomendações, e não ignore as precauções listadas.

Atenção redobrada na hora da faxina

Quando estiver limpando a casa, não deixe os produtos de limpeza abertos. Ao mesmo tempo, mantenha-os sempre perto de você, principalmente se tiver crianças ou animais de estimação.

Na hora da faxina, se o ambiente não tiver janela, ligue um ventilador para ajudar a dissipar os odores. E, se possível, use equipamentos de proteção. No caso da água sanitária, luvas de borracha costumam ser suficientes — mas dependendo do produto, pode ser necessário o uso de máscaras e óculos de proteção.

Fuja de misturas perigosas

Receitas caseiras feitas para, supostamente, potencializar a eficácia dos produtos de limpeza, são encontradas aos montes na internet. No entanto, combinar diferentes substâncias pode resultar em soluções tóxicas, colocando a saúde em risco. São exemplos de misturas que devem ser evitadas:

  • água sanitária e água oxigenada;

  • água sanitária e amônia;

  • nitrato de potássio e detergente;

  • cloro e amônia; entre outras.

Produtos industrializados, além de mais práticos e seguros, garantem um resultado melhor. Para isso, basta que a aplicação seja feita de modo correto, conforme a indicação do fabricante.

Cuidado no descarte das embalagens

Cada vez mais pessoas têm o hábito de juntar embalagens que podem ser recicladas, para destiná-las à coleta seletiva — o que é ótimo. Mas esse armazenamento também precisa ser inacessível às crianças, bem como aos animais domésticos.

Afinal, restos de substâncias que ficam em garrafas e sacos podem provocar problemas, caso entrem em contato com a pele, olhos etc. Ou, pior ainda, acabarem sendo ingeridos acidentalmente, levando a quadros de intoxicação grave ou envenenamento.

Como perceber se alguém foi intoxicado por produtos de limpeza?

A contato inadequado com produtos de limpeza pode levar a diversos sintomas. Os mais comuns são vômitos, dores de cabeça, náuseas, diarreias, dermatites, irritações na garganta e nariz, vermelhidão ou inflamação nos olhos e até perda do apetite.

Já em caso de ingestão, os sinais são mais evidentes. Pode haver, por exemplo, aumento da salivação, dilatação das pupilas, sudorese excessiva, respiração alterada e, em quadros mais sérios, convulsão e inconsciência.

Independentemente da gravidade dos sinais, deve-se buscar ajuda especializada, pois os efeitos variam em função do tipo de produto, da quantidade absorvida e das condições individuais. Um mesmo produto, considerando essas variáveis, pode gerar irritações leves ou levar à morte.

Como se desintoxicar de água sanitária, especificamente?

A água sanitária tem sido bastante indicada para a limpeza doméstica. Isso graças à sua capacidade de manter os ambientes livres de vírus causadores de doenças, como a COVID-19.

Passar um pano úmido com esse produto diluído em água garante superfícies limpas de forma prática e barata. Porém, se usada em excesso, a água sanitária também pode fazer mal.

Se houver apenas contato com a pele ou os olhos, recomenda-se lavar a região com água corrente fria. Mas caso o desconforto seja decorrente da inalação, deve-se ir para um local bem ventilado, como próximo a uma janela, varanda ou quintal, respirar e aguardar alguns minutos. Se não houver melhora, é preciso buscar ajuda médica.

Em relação aos animais de estimação, o procedimento é parecido. Se o contato foi breve e não há sinais de incômodo, lave a área acometida ou leve-o para um local ventilado e observe se há melhora. Do contrário, procure um veterinário.

Quais medidas devem ser tomadas em caso de ingestão acidental?

Seja água sanitária ou outro produto de limpeza, em caso de ingestão, recomenda-se ir imediatamente ao pronto-socorro. Se possível, leve a embalagem do produto ingerido — isso facilita o atendimento médico.

Apesar do que diz a crendice popular, não tente provocar vômito, ingerir água ou leite. O melhor a fazer é procurar um médico — ou um veterinário, caso a vítima seja um animal. Se necessário, ligue para o serviço de emergência (192).

Para concluir, uma boa faxina não requer exagero no uso de produtos de limpeza. Quantidades adequadas garantem, não apenas, maior eficiência e economia, mas também ajudam a prevenir acidentes.

Neste artigo, mostramos como se desintoxicar de água sanitária — um produto de limpeza que, ainda que bastante conhecido, pode trazer riscos quando mal utilizado. Porém, ninguém precisa passa por esse tipo de situação. Para evitar problemas, compre marcas reconhecidas no mercado e respeite as instruções recomendadas nas embalagens. Essa é a melhor maneira de zelar tanto pela limpeza do lar quanto pela saúde e bem-estar da sua família!

Se você gostou deste conteúdo, compartilhe-o em suas redes sociais. Afinal, quanto mais pessoas souberem como fazer a limpeza da casa corretamente, melhor!

Publicado originalmente